27 maio, 2013

Grupos religiosos são contra a indicação de Barroso ao STF

O advogado do Grupo Pró-Família, da Igreja Católica, comentou a indicação de Dilma
Grupos religiosos, tanto católicos como evangélicos, não aprovaram a indicação que a presidente Dilma Rousseff fez, colocando o advogado constitucionalista Luís Roberto Barroso no cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).
Entre as entidades que resistem a esta indicação está o grupo Pró-Família, ligado a Igreja Católica. O advogado Paulo Fernando, que defende o grupo, lembra que Barroso é a favor de causas como o casamento gay e a legalização do aborto.
“Vamos fazer uma espécie de dossiê com todas as declarações dele sobre os assuntos que nos são caros”, disse. Fernando sabe que dificilmente será possível impedir que Barroso seja nomeado, porém “ele precisa saber que estamos de olho”, disse.
Representantes do Pró-Família desejam encontrar apoio em grupos evangélicos para pensar em medidas sobre a nova indicação.
Enquanto isso grupos do movimento LGBT comemoram que o advogado possa chegar a uma dos mais altos cargos do judiciário brasileiro. Toni Reis, da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, chegou a escreveu um texto dizendo que Barroso “foi a melhor pessoa para a nossa comunidade”.

0 comentários:

Postar um comentário